ASUFPel faz reunião com servidores/as do CCQFA com o objetivo de fortalecer a luta contra a MP Nº 873/2019 e a PEC Nº 06/2019

Edital de convocação – Assembleia Estatutária da categoria
26 de abril de 2019
AE do ASUFPel aprova por unanimidade as contas apresentadas pelo Conselho Fiscal da entidade
6 de maio de 2019
Exibir tudo
Sindicato ASUFPel faz reunião com servidores/as do (CCQFA) da UFPel com o objetivo de fortalecer a luta contra a MP Nº 873/2019 e a PEC Nº 06/2019

A Coordenação do Sindicato ASUFPel deu inicio na manhã da última quinta-feira, 25 de abril de 2019, ao processo de continuar informando, debatendo e alertando os Servidores/as Técnico-Administrativos/as da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) das lutas que precisam ser travadas imediatamente, o primeiro local a receber os diretores do ASUFPel foi o Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos (CCQFA) da Universidade.

Uma das Coordenadoras do Sindicato, Maria Tereza Tavares Fujii, destacou que este encontro foi o recomeço das reuniões setoriais com as Unidades. "Estamos alertando para o dano que a Reforma da Previdência vai fazer com os trabalhadores (PEC06/2019), sobre os malefícios da Medida Provisória Nº 873/2019 - que não permite que os sindicatos descontem a mensalidade no contracheque e sobre os ataques a Universidade Pública e ao ensino público em geral", enfatizou Tereza.

Os Coordenadores presentes no evento disseram que a reunião foi proveitosa, destacando a participação dos trabalhadores/as no debate. Como desdobramento, ficou encaminhado, a realização no Campus Capão do Leão, de uma palestra seguida de perguntas e respostas, sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC Nº 06/2019 - a tal "contrareforma" da Previdência). Abaixo, veja fotos da reunião e uma das maldades, para o Servidor Público, contida na proposta do governo federal.

--------------------------

Fonte: CUT/RS

Servidores Públicos

A proposta do governo federal quer estabelecer a idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para as mulheres e aumentar o tempo mínimo de contribuição para 25 anos para que os servidores tenham acesso a 60% do valor do benefício. Para receber o valor integral, os servidores terão de contribuir por pelo menos 40 anos.
Além disso, a PEC prevê aumento nos percentuais de contribuição dos atuais 11% para até 22%. Pela proposta, a alíquota dos servidores públicos começará em 7,5% para os que ganham até um salário mínimo. No caso dos que ganham mais de R$ 39 mil a alíquota pode chegar a 22%.
Pelas regras atuais, os homens se aposentam aos 60 anos com, no mínimo, 35 anos de contribuição e as mulheres com 55 anos e 30 de contribuição. O teto é igual ao dos trabalhadores da iniciativa privada, R$ 5.839,46.