11 dias de terror, onde o BRASIL foi atirado aos leões e devolvido aos pedaços

ATENÇÃO – FUNPRESP
10 de janeiro de 2019
Tutorial – Sistema de Intranet -FILIADO
14 de janeiro de 2019
Exibir tudo

A classe trabalhadora precisa ter unidade e resistir

Por mais boa vontade que se tenha em acreditar em algo positivo para o crescimento econômico e social do país, vindo do novo governo, graças a sua própria incompetência, não é possível, isso porque, recebemos diariamente um bombardeio de informações que relatam infrações descabidas. As manchetes do mundo inteiro cravam conteúdos assustadores, que não surpreendem, ao menos os guerreiros e guerreiras do campo progressista.

Os jornais apresentam escândalos, passando pela perseguição do Ex. Presidente Lula (que é mantido preso político em Curitiba/PR), por empregar parentes em cargos públicos o que configura nepotismo, juiz perdoando ministro corrupto, ex. assessor que burla as leis brasileiras e para não responder aos seus crimes se esconde em um hospital, e um inexplicável desejo de prejudicar os trabalhadores/as que durante décadas buscaram e conquistaram reconhecimento.

Já antes de assumir o mandato presidencial acompanhamos do eleito em 2018, uma enxurrada de menções apontadas no sentido de retirar direitos dos trabalhadores, destaque para os ataques e ofensas direcionadas ao servidor/a público, algo que não será admitido em hipótese alguma, é fundamental que este novo governo entenda que a educação é responsável pela formação de um país humano, forte, rico e desenvolvido.

Neste contexto, os sindicatos, movimentos sociais, partidos políticos de esquerda e coletivos de luta, são imprescindíveis, pois apenas com este conjunto de forças, somado aos trabalhadores e trabalhadoras, seremos capazes de resistir a este governo que não respeita e busca de forma obscura prejudicar mulheres, negros/as, LGBTIs, índios/as, sem terras e quilombolas.

Convocamos a categoria no sentido de que ela fique atenta para resistir sempre que for preciso, tenham a certeza que buscaremos de todas as formas, seja através das mobilizações sociais ou até com ações jurídicas, fazer com que os cidadãos sejam respeitados/as, em suma, buscamos um país humanizado e livre.

11 dias de terror

11 dias